Mais Lenha na Fogueira – P/L Histórico do Ibovespa

Prezados amigos,

Resolvi elaborar esse post para responder a algumas perguntas feitas após a publicação do artigo: P/L Histórico do Ibovespa, elaborado em parceria com o Henrique de Carvalho, do blog HC Investimentos.

Vamos a algumas delas:

Stephan – Na Comunidade do Orkut: Ações – Buy and Hold – Bovespa

Interessante o artigo do “tonabolsa” sobre o PL, só não entendi o racional de usar a regressão linear para definir se o PL está alto ou baixo. Teria usado a média.

Senão assim em 2050 um P/L de 200 seria “justificavel”.

Valeu pelo artigo. Gostei.

Conforme respondido no artigo anterior, a inclinação da linha de tendência certamente não se sustentará no longo prazo, principalmente por 2 motivos: 

1) Devido a recente diminuição da taxa básica de juros no país, fazendo com que o preço das ações fiquem mais caras do que nos anos anteriores. Essa relação pode ser visualizada no gráfico abaixo:

2) Por não termos um grande histórico dados, como no P/E10 dos EUA. Por isso, pretendemos atualizar periodicamente os dados do P/L para que a linha de tendência fique cada vez mais sólida.

Mas conforme sugerido por alguns leitores, vamos comparar o P/L atual com a nossa média histórica.

 

clique na imagem para ampliar

Ao fazermos essa análise, vimos que apesar do P/L do Ibovespa estar num patamar interessante, o mesmo encontra-se ligeiramente acima de sua média histórica.

Nesse sentido, podemos fazer também uma análise similar a do P/E10, divulgada no site dshort.com, separando os níveis do P/L do Ibovespa por quintil.

 

 clique na imagem para ampliar

Nesse gráfico, podemos notar também que o P/L do Ibovespa encontra-se em um quintil intermediário, ou seja, num patamar onde se encontra 60% da amostra.

Domingos Junqueira – No Blog HC Investimentos

Parabéns pelo gráfico Henrique, mas gostaria de te fazer um desafio metodológico, pelo q vc falou vc desprezou os outliers (pontos extremos) p/ compor o seu gráfico, mas e se vc somasse o valor de mercado das empresas e dividisse pelo somatório de lucro das mesmas não poderíamos ter um indicador ainda melhor?

Também pensamos em fazer o levantamento do P/L dividindo o valor de mercado de todas as empresas pela somatória do lucro das mesmas, mas como tínhamos pouca informação disponível na época, optamos por não calcular dessa forma, pois nos demandaria muito trabalho para conclusão.

Esse tipo de análise normalmente é utilizado pelas corretoras, onde é considerado, inclusive, o lucro previsto para os próximos 12 meses, como podemos verificar no gráfico abaixo, elaborado pelo BTG Pactual em conjunto com a Economática.

clique na imagem para ampliar

Stephan – Na Comunidade do Orkut: Ações – Buy and Hold – Bovespa

Seria legal também, se ficam com vontade, colocar o PL da bolsa incluindo e excluindo VALE e PETR.

Muda drasticamente a figura!!!

No relatório mensal da BTG Pactual, onde eles calculam P/L do Ibovespa de 12 meses para frente em 9,6x, eles avaliam que se excluirmos a Petrobras e a Vale, o Ibovespa estaria sendo negociado em um P/L de 11,3x, ainda descontado em relação ao S&P500, que é negociado a 12,4x.

Abraços

P/L Histórico do Ibovespa

Prezados,

Após um longo período de trabalho em parceria com meu amigo Henrique Carvalho, do site HC Investimentos, conseguimos levantar o P/L histórico do Ibovespa, um trabalho extremamente útil para quem pratica a alocação de ativos.

O presente artigo será dividido em 5 partes:

  1. Definição do Índice Preço/Lucro (P/L)
  2. P/L Histórico no Mercado Americano
  3. P/L Histórico – Metodologia Brasileira
  4. Gráficos e Análises Finais
  5. Conclusão

 

O que é o índice Preço/Lucro (P/L)?

O índice Preço/Lucro (P/L) é um indicador muito utilizado pelos investidores para se medir o número de anos que se levaria para reaver o capital aplicado. Um exemplo em PETR4:

Preço: R$ 22,87 (Dados de 24/06/2011)

Lucro por Ação (LPA): 2,95 (Lucro Líquido dos últimos 12 meses / Número de Ações)

P/L = 7,76 (22,87 / 2,95)

Logo, o investidor levaria em torno de 8 anos para reaver seu capital aplicado, caso comprasse o ativo neste exato dia e os lucros permaneçam constantes.

Costuma-se dizer que P/Ls abaixo de 15 estão baratos e acima de 15 caros. Os números são apenas uma referência, não devendo ser utilizados isoladamente como motivos de compra/venda de algum ativo.

 

P/L Histórico do S&P500 e sua importância como indicador

Utilizar o mercado americano como referência para nossa metodologia do P/L do Ibovespa era necessário.

Afinal, os dados vão desde 1870 (!), permitindo uma extensa análise sobre a viabilidade do indicador como referência para investimentos em índices de ações.

 

clique na imagem para ampliar – crédito da imagem: dshort.com

Este gráfico é muito bem construído e servirá de guia para o nosso gráfico do P/L Histórico do Ibovespa. Seguem abaixo algumas importantes observações:

  • Dados utilizam o índice P/E10 (Price / Earnings de 10 anos) deflacionado pela inflação. É uma maneira de suavizar o índice P/L, já que engloba a média real dos lucros nos últimos 10 anos.
  • Alta correlação entre o S&P500 e o P/E10. Algo esperado, já que o numerado da relação (preço) nada mais é do que a variação do S&P500.
  • O P/E10 variou durante estes 140 anos entre a mínima de 4,8 (1921) e a máxima de 44,2 (2000).
  • Dados do P/E10 foram dividos em 5 camadas (quintil). Desta maneira é possível ter uma melhor ideia das teóricas áreas “caro” e “barato”. Neste gráfico, a área “cara” está no quinto quintil (20,7 – 44,2) e a área barata está no primeiro quintil (4,8 – 11,0)
  • Atualmente o índice está em 23,0. Na teoria, este seria um número alto e que demandaria maior cautela por parte do investidor ao investir no mercado de ações americano.

A principal vantagem em se analisar o histórico do P/E10 do S&P500 é saber de forma prática e rápida a atratividade do investimento em ações.

O atual valor de 23,0 nos mostra que os investidores estão aceitando pagar um preço maior pelo mesmo lucro, dado que a média do P/E10 está em torno de 15,0.

 

P/L Histórico Ibovespa – A Metodologia Brasileira

Calcular o P/L do índice parece uma missão fácil inicialmente…

Na teoria, basta saber o P/L de cada empresa que compõe o Ibovespa e sua participação no índice. Deste modo, somando este produto para todas as empresas teremos o P/L do Ibovespa.

Porém, um dos maiores entraves para apurarmos o histórico do P/L do Ibovespa foi a ausência de bons dados públicos, principalmente de empresas antigas, que passaram por processos de fusões, mudaram seu código ou até mesmo faliram.

Deste modo, tentamos nosso melhor para conseguir dados de qualidade das diversas empresas que já fizeram parte do Ibovespa.

Abaixo, algumas considerações importantes sobre a metodologia utilizada.

Coleta de Dados

  • Utilizamos o software Majer & Majer para a coleta dos P/Ls históricos de algumas empresas.
  • No caso de empresas antigas, que sofreram fusão ou tiveram seu código alterado, utilizamos os dados da empresa mais recente. Exemplo: No caso de Perdigão (PRGA3) e Sadia (SDIA4) utilizamos os dados da BR Foods (BRFS3). Outros casos parecidos foram: Submarino (SUBA3) > BTOW3, Ipiranga (PTIP4) > UGPA4.
  • Alguns dados do P/L foram calculados na própria mão, utilizando dados do preço, lucro líquido nos últimos 12 meses e o número de ações.

Cálculo do P/L Trimestral do Ibovespa

  • Dividimos todo o período analisado (1999 até 2011) através de trimestres, para facilitar a coleta dos dados da participação das empresas no Ibovespa
  • O cálculo do P/L do Ibovespa para cada trimestre considerou a soma do produto entre a participação de cada empresa e seu respectivo P/L.
  • P/Ls acima de 60 foram desconsiderados, assim como P/Ls negativos (abaixo de 0). Estes cortes se justificam pelo motivo de suavizar o P/L. Afinal, P/Ls de 1.000 em ações com grande participação iriam jogar o P/L do Ibovespa às alturas, assim como P/Ls negativos tenderiam a baixar significativamente o P/L do Ibovespa.

Cálculo Final do P/L Mensal do Ibovespa

  • Com um pouco mais de 10 anos de dados não pudemos utilizar a metodologia americana do P/E10. Entretanto, para suavizar o resultado do P/L mensal optamos por considerar a relação entre a pontuação do Ibovespa e a média dos lucros dos últimos 12 meses.
  • Como o lucro é calculado a partir do P/L trimestral e da pontuação do Ibovespa, tínhamos apenas dados trimestrais. Os dados mensais do lucro do Ibovespa foram conseguidos através de uma interpolação linear entre o lucro dos trimestres.

 

P/L Histórico do Ibovespa – Gráficos e Análises Finais

Com o histórico de dados em mãos e a metodologia pronta, pudemos enfim elaborar o gráfico do P/L histórico do Ibovespa.

 

clique na imagem para ampliar

Posicionando o Ibovespa mensal acima e o P/L do Ibovespa abaixo no gráfico podemos notar a evolução deste importante indicador ao longo de mais de 10 anos.

O P/L tem alta correlação com o Ibovespa conforme era possível de se imaginar. Alcaçou sua mínima de 5,42 durante a crise de 2000-2002 e sua máxima de 17,99 em maio de 2008, mês que antecedeu uma queda de -60% no Ibovespa durante os próximos 5 meses.

Entretanto, os dados atuais já apontam uma certa divergência entre a pontuação do índice e o lucro das empresas que o compõem.

Desde meados de 2010, o P/L do Ibovespa vem caíndo até o atual patamar de 11,86. Este patamar é semelhante ao P/L do início do ano 2005.

  

clique na imagem para ampliar

Analisando a regressão linear em relação ao P/L do Ibovespa temos que os períodos mais “fora da média” foram 2002 e 2008. O atual patamar de -25,39% em relação a regressão parece indicar um momento favorável para compras no Ibovespa.

A regressão linear já foi explorada no blog HC Investimentos através do artigo: Ibovespa, Regressão à Tendência – Uma Visão Histórica

Entretanto, é muito importante lembrar que os dados tem apenas 10 anos e que esta regressão linear não deve se sustentar no futuro com a mesma inclinação. Afinal, o P/L do Ibovespa não tenderá a subir indefinidademente, mas sim se sustentar próxima a valores como 20,00 e 5,00.

Com um maior número de dados será possível criar a divisão por quintil para este gráfico, semelhante ao gráfico do mercado americano.

 

Conclusões

O P/L do Ibovespa será um importante instrumento de avaliação da atratividade do índice e certamente estará entre o conjunto de indicadores que utilizaremos para analisar a viabilidade de um investimento na Bolsa.

Em conjunto com outros indicadores, acreditamos que o atual patamar do Ibovespa em torno dos 60.000 pontos seja um bom momento para se aumentar ligeiramente a alocação em ações.

Apesar de não ser nenhuma pechinha, o investimento gradativo na Bolsa nos patamares atuais torna-se bastante interessante.

Compartilhe!

Se você gostou deste trabalho de coleta do P/L histórico do Ibovespa compartilhe-o e ajude demais investidores a conhecer este importante indicador.

P.S. Recomendo fortemente conhecerem o HC Investimentos do meu amigo Henrique Carvalho, cuja parceria foi fundamental para que, pudéssemos concluir esse projeto. Aproveitem para agradecê-lo também! ;)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 52 outros seguidores